Portugal de fora da Liga das Nações: Um balde de água espanhola

O que se passou em Braga?

A seleção portuguesa viu escapar um lugar na final four da Liga das Nações ao ser derrotado por 1-0 pela Espanha, em jogo da última jornada do Grupo A2 da prova.

A equipa portuguesa precisava apenas de um empate para garantir o primeiro lugar, o único que dava direito à próxima fase, mas assim não aconteceu. Espanha, com um golo de Morata aos 88 minutos, consegue juntar-se assim a Itália, Croácia e Países Baixos na final four.

Portugal fez uma boa primeira parte, indubitavelmente a equipa mais perigosa nos primeiros 45 minutos, com muitas oportunidades de golo. Rúben Neves, Diogo Jota e Bruno Fernandes estiveram muito perto de marcar, perante um forte apoio no Estádio Municipal de Braga, que estava lotado.

Fernando Santos teimou em não mudar nos primeiros minutos do segundo tempo, quando o resultado ainda estava favoravelmente 0-0, mas Luis Enrique, que até aqui viu a sua equipa jogar em ‘modo zombie’, fez três alterações que mudaram o rumo (e desfecho) da partida. As entradas de Gavi, Pedri e Yeremi Pino surtiram efeito e a Espanha ficou mais perigosa, com momentos de grande aflição para a baliza de Diogo Costa.

Perante o momento de agonia, João Mário, Rafael Leão e Vitinha foram as escolhas de Fernando Santos para agitar a partida, em detrimento de Bernardo Silva, William Carvalho e Diogo Jota. Entradas essas que não serviram para evitar o golo de Espanha, nos instantes finais.

O momento: o balde de água fria aos 88 minutos

Tudo parecia encaminhar para uma noite de festa na capital minhota, mas os espanhóis tinham reservado uma surpresa para o final. Nico Williams amorteceu de cabeça ao segundo poste o cruzamento de Carvajal e Morata, à vontade, apareceu a encostar para o golo de Espanha, que ditaria a eliminação de Portugal.

Veja as melhores imagens do encontro

Os melhores: Nuno Mendes no corredor e Bruno Fernandes

O lateral do PSG e o médio do Manchester United ofereceram tudo o que havia para oferecer num só jogo. O corredor esquerdo esteve impenetrável e o lateral ainda deu profundidade de jogo nos contra-ataques. Bruno Fernandes mostrou-se incansável no meio-campo e foi o jogador mais disruptor da seleção.

O pior: Bernardo Silva desinspirado

Um jogador fundamental na seleção, mas que ontem esteve sem grande – ou nenhuma – inspiração. Quase nem se deu pelo médio do Manchester City durante o tempo em que esteve em campo. Foram 73 minutos.

O que se disse depois do jogo

Morata elogia João Félix: “Vai ser o futuro do Atlético e da seleção”

Rúben Dias diz que Portugal “teve as melhores oportunidades”, Rúben Neves lamenta “distração” nos minutos finais

Fernando Santos: “O Jota pediu-me para sair porque estava muito cansado. Não era a substituição que ia fazer”

Fernando Santos e a eliminação de Portugal: “Não me belisca nada, tenho contrato até 2024”

Luis Enrique: “Nos minutos finais sentimos que podíamos marcar”

Artigos Relacionados